sábado, 5 de julho de 2008

Lembranças


By Tereza Rondinelli

Lembranças... por que vêm e vão? Por que trazem de volta um passado que ficou perdido num lugar escondido que jamais poderemos encontrar? De que serve recordar aqueles sonhos que apagaram-se junto com todos os outros planos perfeitos que hoje nada mais são? Lembranças do que foi bom e não é mais, do que foi ruim e não mais nos faz chorar. Todas essas lembranças são capazes de transformar a fortaleza que aos poucos construímos dentro de nós, para que pudéssemos sempre estar preparados para as desventuras a vir. Um momento a olhar para o nada, uma música, um local, um sentimento, e pronto! De imediato tudo o que um dia nos trouxe tantas lágrimas, sejam elas de tristeza ou alegria, faz-nos reviver todas as emoções, sem tirar nem por, com a única diferença de que não é mais real. E isso machuca! Dói profundamente aceitar que o tempo não volta atrás e nem mesmo pára, para que pudéssemos aproveitar cada segundo daqueles doces momentos ou não, daqueles lindos sorrisos ou daquelas cruéis palavras. A certeza de que aquelas memórias nada mais são do que meros aprendizados é um tanto incômoda, e de uma forma de outra, acaba impedindo-nos de viver o presente e sonhar com o futuro, ao passo em que nosso corpo vai, enquanto nossa alma regride àquele passado escondido, e carrega nossa mente com ela, porque é lá que quase sempre está a nossa razão de ser. É aquela música, aqueles planos, aquela mesinha da sorveteria ou aquele pedaço do muro, que são capazes de destruir toda a nossa aparente felicidade e tornar-nos seres melancólicos. Basta observar que quase sempre os nossos melhores momentos estão presos aos tempos que não voltam mais.

E as lembranças vêm. Para que possamos entender que ainda somos capazes de transformar o passado no mais lindo futuro, e ainda sentir-nos vitoriosos por tal proeza. Sim, por que não? A felicidade não é algo que se transforma facilmente, e se ela estiver presente no que passou, precisamos ter forças para voltar à mesinha de sorveteria, ouvir aquela música mais uma vez, planejar tudo de novo, e encarar o pisca pisca das lâmpadas do terraço após às dez da noite. Antes regredir a provar o gosto amargo do que sempre foi doce! Caso contrário, não lembraríamos, pois afora o resgate de um sonho, as memórias não passariam de sinônimos do sofrimento.

"Quero que saibas que me lembro
Queria até que pudesses me ver
És parte ainda do que me faz forte
Pra ser honesto sou um pouquinho infeliz!"

Giz - Renato Russo

13 comentários:

Camilla disse...

Quando o passado vem nos agredir, precisamos saber lidar com as lembranças. Sei bem do que está falando. Quando de uma vez chega a nossa cabeça pedacinhos de tempo passado, nos fazendo retirar um suspiro. Dá vontade de voltar e reviver. Não fique triste Vini. Se dias melhores houveram, dias melhores hão de vir.

"Mas tudo bem... tudo bem... tudo bem. Lá vem, lá vem, lá vem de novo, acho que estou gostando de alguém. E é de ti, que não me esquecerei."

Cαmilα disse...

Ai ai... lembranças!
Há uma música do O teatro mágico que diz: "Só enquanto eu respirar vou me lembrar de você".
Ultimamente tenho andado muito nostalgica!
Adorei o texto.
Beijo
=)

Teresa disse...

eu acho que as lembranças são essenciais.
sei que passado é passado.
mas ainda bem que o passado (bom) pode voltar através das lembranças.

=*

Nadezhda disse...

"Basta observar que quase sempre os nossos melhores momentos estão presos aos tempos que não voltam mais".

Como já disse num comentário sobvre lembranças. Temos o costume pessimista de achar que tudo que aconteceu ontem, foi melhor, por essas lembranças.

Mas quero acreditar que o melhor está por vir ;)

Nadezhda disse...

"Basta observar que quase sempre os nossos melhores momentos estão presos aos tempos que não voltam mais".

Como já disse num comentário sobre lembranças. Temos o costume pessimista de achar que tudo que aconteceu ontem, foi melhor, por essas lembranças.

Mas quero acreditar que o melhor está por vir ;)

Humana disse...

Olá,
é bom reviver o passado mas não viver nele.Sei bem do que falo.A vida acontece hoje e o passado serve não só com orecordação mas tb como um aprendizado de coisas boas e más.
Adorei o teu texto.
Beijinhos lindo!!!

*Raíssa disse...

Boas lembranças merecem ser lembradas com carinho, e sempre lembramos delas dessa maneira; ficamos até emocionados, sentimos uma felicidade momentânea. Dá vontade de voltar para o passado.

Já as más lembranças, prefiro não lembrar muito destas, não me fazem muito bem, a não ser que eu tenha conseguido vencer/superar algo ruim que aconteceu no passado.

São tantas as coisas que nos fazem lembrar... mas as músicas, em especial, me fazem lembrar de vários detalhes das situações passadas. Certas músicas despertam as mais profundas emoções, algumas há tempos guardadas. Quase todas as músicas me fazem lembrar de algo.

Adorei o post!

Beijos

Ps: Tem presente pra você no meu blog :)

Patrícia disse...

Engraçado postei um texto esses dias, falando exatamente da saudade... saudade de tudo que ja vivi!
Ando muito nostalgica esses ultimos dias...
Essa saudade chega trazendo a vontade de reviver tudo aquilo de bom que ja vivemos! Mas devemos nos lembrar que o que passou, passou... temos de se lembrar com saudade, mas estarmos ligados no futuro...

Beijão

david santos disse...

1990, 18 anos: Cazuza. O expoente máximo do ROCK brasileiro.
Com saudade...

Camilla disse...

Eu vivo de lembranças...
Das boas e das ruins!!

Beijos

Luifel disse...

Eh kra, as benditas lembranças...há um tempo atrás vc mesmo pôde presenciar o quanto eu estava meio melancólico e saudoso e também me questionava tanto sobre o passado ser ou não uma prisão em que vivemos... cheguei a conclusão de que não, nós fazemos dele uma prisão, quando ele é na verdade um lugar pra descansar e pra haurir experiencias de vida...recordar bons momentos...

O novo, sempre trás consigo um desafio a ser enfrentado, trás em si a possibilidade de viver algo realmente bom e que suplanta qualquer lembrança passada.

Temos (incluo-me nessa) que aprender a ver no passado e nas coisas que nos remetem a ele, combustível para o nosso crescimento, temos que fazer do passado um vivenciar melhor das experiências que tivemos e com toda a experiência e bagagem de hoje.

Carai, acho que falei demais nesse post.

Abç!

KaKa Fuinha disse...

depois de um milhão de anos sem nos falarmos no msn e mais um milhão sem visitar seu blog cá estou para dizer que adoro seus textos.
sempre
:D
sempre sincero sobre seus sentimentos
:D

bjinhos
ate mais

Ana Luíza disse...

Oi Viníciusssssss... qnto tempoooo...
Pois é andei um pouco afastada dos meus escritos + agora volteiiiiiiii
Obrigada pelo comentário e pela visita ao meu blog viu???
JÁ ESTAVA C/ SAUDADESSSSSSSS
APAREÇA SEMPREEEEEEE

XEROOOOOOOOO