quarta-feira, 23 de julho de 2008

Transposição do São Francisco

É necessário que as pessoas resgatem urgentemente o senso humanitário, e acima de tudo, o amor ao próximo. Há certas atitudes que ao se analisar contextualmente, representam grandes contradições, não apenas tecnicamente falando, mas também moralmente. Pessoas pregam durante toda sua vida a justiça social, o fim da miséria, da fome e do analfabetismo. No entanto, no momento em que surgem oportunidades reais para que seja colocada em prática toda a dinâmica do seu antigo discurso, a “verdade” muda de lugar, e ergue-se no âmbito do interesse político e financeiro, em detrimento do bem comum e da amenização do sofrimento de muitos.

A questão da transposição das águas do Rio São Francisco é um exemplo chave desta máxima. Trata-se de um projeto bastante antigo, que consiste em transpor ou desviar o volume de 1% da totalidade das águas do velho Chico, para beneficiar populações necessitadas do interior nordestino, que precisam às vezes andar quilômetros a fio para conseguir um simples balde de água. Isso mesmo, estamos falando de apenas 1% do volume total do rio, quantidade irrisória, mas que pode transformar as vidas de milhares e milhares de cidadãos assim como nós, que não possuem a capacidade de tomar um banho decente, ou alimentar seus filhos com a devida higiene, coisas que nós fazemos todos os dias de forma natural. Não é objeto de contestação alguma a necessidade da água para a sobrevivência humana, sendo assim, eu me questiono: por que tanta pirotecnia, tantos protestos e discursos inflamados contra o projeto da transposição? Fundamentam sua opinião contrária na tese de que o projeto como está prejudicaria o rio e o traria ao risco de morte definitiva, devido à suposta ausência de obras estruturantes com fins de revitalização, ou seja, segundo estes críticos, simplesmente serão construídos canais para desviar o curso do rio, e este desvio, repito, que totaliza 1% do volume das águas, levaria o velho Chico à morte. Ora, não é preciso ser nenhum técnico no assunto para entender que a construção de canais é feita de forma uniforme, planejada, para que de fato apenas aquela quantidade de água determinada seja desviada. Sendo assim, é óbvio e evidente que neste processo faz-se necessária uma reestruturação das margens do rio bem como de suas populações ribeirinhas, caso contrário não seria possível abrir os canais. Afora este fato, apenas o desvio de uma quantidade tão diminuta das águas jamais seria capaz de extinguir um berço fluvial que já resistiu a todos os tipos de ações e agressões por parte dos homens – destes mesmos homens que hoje criticam a transposição – ao longo dos anos. Portanto, o argumento é frágil, insólito, ridículo e mesquinho. Falam também que trata-se de um projeto extremamente caro aos cofres públicos, além de ineficaz, mas até o momento atual, durante todos estes anos de sofrida seca no Nordeste, eu não vi nenhum destes "mágicos" propor nenhuma idéia que pudesse amenizar o sofrimento desses seres humanos, e somente agora, que o projeto está em andamento e que alguém decidiu fazer alguma coisa nesse sentido, é que aparecem as soluções "milagrosas e eficazes", que nada mais me parecem que objeto de crítica gratuita, por puro interesse e egoísmo, ao invés da verdadeira vontade de ajudar os sertanejos. Além disso, impossível denominar de cara uma iniciativa dessas, num país onde a grande maioria do dinheiro público é desviado para interesses no mínimo excusos. A estes que colocam o custo da obra como argumento, eu pergunto: quanto vale uma vida?

O que verdadeiramente se esconde por trás destas opiniões adversas é o interesse comercial e econômico, a abertura da concorrência, e a politicagem, visto que será crescente o desenvolvimento de novos produtores rurais no Nordeste e a criação de milhares de postos de trabalho diretos e indiretos, o que contraria e muito o interesse dos antigos feudos agropastoris, comandados em sua maioria por uma inescrupulosa classe de políticos que convenientemente reagem contrariamente a um projeto que apenas trará benefícios ao seco sertão nordestino e às suas populações, que diga-se de passagem, são responsáveis diretos pela concessão do poder a estes mesmos homens que agora trabalham contra suas próprias bases. Enquanto algumas pessoas não adquirirem o real e incondicional senso de justiça neste país, haverá sempre estes caciques que estão lá, imunes a todo e qualquer tipo de restrição constitucional, moral e ética, que insistem em agir e articular contra qualquer atitude que possa melhorar a qualidade de vida dos mais necessitados, posto que melhorando, estas pessoas não precisarão mais de dentaduras ou de algumas telhas para escolherem seus candidatos.

Finalizo parabenizando a todos os que idealizaram, lutaram, e acima de tudo executaram tão louvável idéia. Aos poucos políticos de caráter e bom senso que defendem com unhas e dentes a transposição, ao Governo Federal que irrestritamente vem conduzindo as obras, e à sociedade civil nordestina e brasileira que fez valer o seu direito, o direito à vida. Eu, particularmente, tenho água todos os dias nas torneiras da minha casa, tenho instrução para reclamar meus direitos, tenho voz de cidadão , mas tenho também, acima de tudo, uma inquietação constante ao presenciar diariamente uma total inversão de valores e deturpação de direitos que me enoja os olhos, me embola o estômago e me indigna a alma. Olhar somente para dentro de si é um artifício covarde para aqueles que não têm ética e moral para olhar nos olhos do outro, e encarar o próximo exige boa conduta, exige capacidade de entendê-lo e também viver a sua dor. Respeitemos o direito de todos os brasileiros a uma vida digna, e façamos acontecer, pois uma sociedade só pode ser verdadeiramente justa quando todos puderem orgulhar-se de si mesmos.

32 comentários:

Nadezhda disse...

Eu não sei muito sobre o assunto, então não tenho uma opinião ainda bem formado. Prefiro não dizer besteiras. Mas acredito que aqueles que não querem, são da mesma laia dos latifundiários que não querem a reforma agrária. Jogo de interesse.

Mas meu professor de geografia disse que algumas vezes eles fazem o canal pela metade, e essas famílias ficam sem receber água da mesma forma. Uma tristeza.

;)

Igor Isídio disse...

Belo texto Vinícius!
Tive a chance de me informar um pouco sobre o tema, visando um concurso.
Também sou indiscutivelmente a favor desse projeto que data do Período Imperial e se arrasta por tanto tempo, assim como a população do Semi-àrio que clama por matar a sede.
Mas torna-se válido observar que não é necessária apenas uma execução superficial do projeto (logicamente a parte mais fácil), como propôs o governo. A parte mais difícil é levar, de fato, a água até os realmente necessitados.
Precisa-se entender também que a faraônica obra da transposição de nada adiantará se não houver um planejamento para a ramificação de canais dentro das pequenas e médias propriedades. Se toda a execuão for feita com o desleixo típico das obras públicas que notoriamente assumem fins eleitoreiros, o nordestino do sertão corre o risco de não se beneficiar como imaginado, vendo grandes canais passarem perto de sua propriedade e não gozar do recurso, impossibilitado de arcar com instalação de dutos que abasteçam sua propriedade.
Muito bom ter levantado essa questão em seu espaço!
Abraço!!

Jéssica V. Amâncio disse...

Iria ser bom se esses interesseiros, que são contra, fossem jogados no meio do Sertão onde nenhum canal de irrigação chegasse. Não acha?!
Isso me irrita profundamente.
Adorei sua posição quanto ao assunto e apoio completamente.(pra variar)

Beijos!
Adoro tudo que leio aqui,
como sempre!! ;)

Cámila disse...

Meu Deuuus!
Que texto enorme hahaha
sinto te informar mas li só por cima! =/

Aiii o final da historia sai hoje iem!

beijo

paula barros disse...

Viniciua
Por uma lado concordo com você quanto a se pregar uma coisa e ter outra conduta.
Por outro nunca entendi essa questão da transposição, tentei entender, para poder conversar, e quando começaram a me mostrar os interesses pessoais dos políticos (acho que esse deve ser um dos problemas, acho), perdi o total interesse de entender.
boa quarta!

Mandy disse...

Tem selinho pra vc lá no meu blog

passa lá depois pra pegar!!!!

^^

BjO.

Patrícia disse...

Parabens pelo texto...
Vou me informar melhor sobre o assunto e volto para poder comentar direito... Rs

Beijinhos

Camilla disse...

Concordo com você.
Temos que unir cada vez mais para que o nosso país e o mundo fique melhor!!

Beijos!!

Luifel disse...

Eu conheço um pouco sobre esse assunto, mas não o suficiente pra argumentar contrário ou a favor...

Prefiro só dizer q tenho medo dele por causa dos jogos de interesse desse país, de q isso pode ficar pela metade e tanta coisa q pode acontecer...

abç!

Nina Ferreira disse...

Ei, ó, tem uns mimos pra você lá no meu blog. ^^

Desculpa, mas vou comentar depois. Tô com pressinha.


Beijão.

cahg disse...

hahaa
q textoo heein
caracaas to bobaa auhahu

http://imensidadx3.blogspot.com

cahg disse...

hahaa
q textoo heein
caracaas to bobaa auhahu

http://imensidadx3.blogspot.com

Danielle Alexa disse...

Gostei muito do texto Vinicius!
Apesar de não saber muito sobre o assunto, é um tema bem polêmico e interessante...
Acredito que ainda vai demorar muito para que isso seja realmente concretizado.
Espero que os políticos entrem logo num consenso, pois as pessoas necessitadas não irão esperar a vida toda!
Parabéns pelo seu ponto de vista!

Teresa disse...

é que nossa sociedade é EGOÍSTA por natureza.
começa de berço.
temos milhões de crianças abandonadas e jogadas em orfanatos. mas o que a sociedade faz? em vez de adotar, prefere ter os próprios filhos, e bota mais gente no mundo, em vez de cuidar dos que já existem.
a transposição é a mesma coisa.
temos milhares de pessoas morrendo de fome e de sede. mas ninguém quer dar esse pouco que temos de sobra por egoísmo. só isso.

Flah disse...

E cadê o respeito pelo "Velho Chico", né?

Beijoca!

Zek disse...

É um tema polêmico, ja ouvi argumentos muito convincentes pela não transposição .... de qualquer forma é um avanço o fato de o governo federal estar atento ao que acontece na região.
E é um avanço nós brasileiros pensarmos juntos em como melhorar a vida de nossos irmãos nordestinos..

abs

Camila disse...

Taí um post (mais um) que faz juz ao nome de seu blog "Pensamentos e REALIDADES"... a transposição do rio é um assunto complexo e contraditório. Como não sei muito bem todos os prós e contras ainda não opnarei!
Beijo
=)

Ni ... disse...

É seu moço, seu blog sempre fazendo pensar... Parabéns!!

Beijo e mais beijos...

Thay disse...

Ameeiiiii

Bjooo;***

Idylla disse...

tem presente p vc la no blog...bjo Viniii!!

Olirum disse...

as pessoas que são contra, não sabem como é ter que andar sob um sol terrível quilômetros atrás de água, seria bom se eles experimentasse um dia fazer isso.

Bom final de semana.

Tatah Marley's Confissões disse...

Digo a ti, que realmente seria a favor da transposição se fosse um projeto mais bem planejado, e se nao fosse desviado desse desvio agua pra os 'coronéis' que vivem n nordeste. Por que querendo ou não, o governo se importa mais em servir aos grandes latifundiarios do que as pessoas que necessitam. Pra mim, isso nao passa de mais um golpe do governo, que espero eu não dê certo. Vejo muitas pessoas como voce (nada contra) defendendo a transposição, mais é preciso ver o outro lado da moeda, e nao pensar apenas como visões de utopia, mais sim de realidade.
Mais nao tenho nada contra tua opinião, até por que assuntos como este são muito controvérsos, e é preciso analisar a fundo os pontos positivos e negativos, pra se tomar uma decisão sensata.

adorei teu blog, mesmo!
E embora minha opinião seja diferente da sua sobre isso, acho que é o que eu mais gosto, pqe se tudo fosse igual, nao teria graça!
posso te linkar? adoro temas polemicos, e jah vi que teu blog é cheio deles.. e isso é muito bom por sinal!
beeijo

Ariana disse...

Fiquei perplexa em saber dessas "pessoas" (se é q se pode chamar de pessoas) que são contra a tranposição do rio.
Eu nem to mto por dentro desse assunto, pq não estou lendo ou vendo mto jornal etc, to bem desenformada, lembro de qdo o projeto só estava no papel msm, e por isso nem tem como eu opinar mto!
Mas fico feliz que tem pessoas que lutam por isso, e que o projeto está em andamento!

Belo texto viu!
Ta de parabéns!


Beijão
Bom fim de semana pra vc!

Mandy disse...

De nadinha, q bom q gostou!!!

^^

Não sei muito sobre o assunto desse seu post, então não direi muita coisa, apenas q isso de transposição vai acabar prejudicando muita gente ainda...

BjO.

Tatah Marley's Confissões disse...

muito obrigada pela visita meu bem!
está linkado tambem!
\õ/
e desculpa pela revolta, é pqe essas coisas me extressam um pouco mesmo..
kkkkkkkkkkkk

beeeijo grande!

Cámila disse...

Aii hahah desculpa se não te agradei dessa vez com minha história
MAS É UM CASO REAL!! =)


beijo

Cámila disse...

Ah sim, mas eu me expliquei pq as pessoas perguntavam da minha religião né então eu respondia e pra resumir eu já respondi tudo num post só!
;)

beijoo

Laysla Fontes. disse...

Muito, muito obrigada Vinícius!

Um perdão pela não-leitura do texto [ainda].

Grande beijo!

cah disse...

postaa maais
postaa maaaais \o
adooooro aki

http://imensidadx3.blogspot.com

Antunes Ferreira disse...

LISBOA - PORTUGAL

Olá!

Cheguei a este blogue através de outros que costumo visitar e neles postar comentários. Cheguei, vi e… gostei. Está bem feito, está comunicativo, está agradável, está bonito – e está bem escrito. Esta é uma deformação profissional de um jornalista e dizem que escritor a caminho dos 67…, mas que continua bem-disposto, alegre, piadista, gozão, e – vivo.

Só uma anotaçãozinha: Durante 16 anos trabalhei no Diário de Notícias, o mais importante de Portugal, onde cheguei a Chefe da Redacção – sem motivo justificativo… pelo menos que eu desse com isso… E acabo de publicar – vejam lá para o que me deu a «provecta» idade… - o me(a)u primeiro livro de ficção «Morte na Picada», contos da guerra colonial em Angola (1966/68) em que bem contra vontade, infelizmente participei como oficial miliciano.

Muito prazer me darás se quiseres visitar o meu blogue e nele deixar comentários. E enviar-me colaboração. Basta um imeile / imilio (criações minhas e preciosas…) e já está. E se o quiseres divulgar a Amiga(o)s, ainda melhor. Tanto o blogue, como o imeile, tá? Muito obrigado

www.travessadoferreira.blogspot.com
ferreihenrique@gmail.com

Estou a implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os Países fraternalmente ligados – Portugal e Brasil. No que estou, pela minha parte, a desenvolver todas as diligências que, naturalmente, me forem possíveis.
E, naturalmente também, para poder enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me que eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior).
Já solicitei a colaboração da Embaixada de Portugal em Brasília, que tem à frente dela um diplomata fora de série, o meu querido Amigo, Dr. Francisco Seixas da Costa e na qual se integram mis dois bons Amigos de longos nos: o Adriano Jordão e o Carlos Fino. Seixas da Costa criou um blogue magnífico Embaixada de Portugal no Brasil, www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com, que vos recomendo vivamente visitar. Tem tudo sobre as relações entre as duas Nações. E já fiz o mesmo aqui em Lisboa. Espero receber resposta da Embaixada brasileira.
Este é um desejo que já ultrapassa a simples intenção. Felizmente, neste momento possui muitos comparticipantes – como desejo que seja o teu caso. Mas, com o empenhamento, a ajuda, o entusiasmo e a alegria que tenho encontrado – iremos longe. A internet (apesar dos aspectos negativos que ainda apresenta) tem uma força incomensurável e desenvolvimento tecnológico que se actualiza dia a dia.
Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

PS 1 – Quando navegarmos em velocidade de cruzeiro, quero alargar o Travessa aos outros PALOP. Que achas?
PS 2 – Desculpa por este comentário ser tão comprido e chato. Como a espada do D. Afonso Henriques…
PS 3 - Já compraste o me(a)u »Morte na Picada»? DIZEM que é muito bom. DIZEM… E também há quem tenha escrito que sendo contos da guerra em Angola 66/68 (em que infelizmente e contra vontade participei, é SANGUE & SEXO… Malandrecos… Já leste? E se, por singular acaso, tiveres gostado dele, terás de comprar muitíssimos mais exemplares. São excelentes prendas de aniversários, casamentos, divórcios, baptizados, Natais, Carnavais, Anos Novos, Páscoas, Pentecostes, vinte e cincos de Abris, cincos de Outubro, dezes de Junhos. Até para funerais. Oferecer o «Morte» na morte fica bem em qualquer velório que se preze. E, além disso, recomenda-o, publicita-o, propagandeia-o, impinge-o aos Amigos, conhecidos, desconhecidos & outros, SARL. Os euros estão tão raros e... caros...

Camilla disse...

Tbm conversamos bastante sobre isso no MSN, né?

Então já sabe a minha opinião e dos meus medos quanto a isso. Fiquei feliz por vc ter me mostrado o outro lado da moeda. Assim, fico mais tranquila e feliz quanto ao projeto.

Bjooo

Anônimo disse...

Caro dono do blog, tenho uma opniao contraditória a sua a respeito da tranposiçao. Analisando os fatos da condiçao do rio(que é extremamente precário, com inumeras doenças e pouquissimos peixes que ainda conseguem existir no rio) sabrmos que de nada adiantará levar essas aguas poluidas para o povo da caatinga nordestina. Sem contar do enorme gasto que gastará para executar a transposiçao. há outros meios de levar a agua à essa gente muito mais economicos do que pela transposiçao, que na realidade vai servir para levar agua para grandes latifundiários do mercado exterior, um dos meios é cisternas que reutiliza a agua da chuva. E quem se opoe a transpodiçao sao ambientalistas, antropolagos, e geografos que sabem realmente o risco que causará ao rio essa grandiosa idiota obra.
Luiz Paulo