quinta-feira, 29 de maio de 2008

Eu-Lírico


Não, eu não sei escrever contos! Também não sou poeta e muito menos cronista! Sou apenas um sonhador, nada mais. Alguém como qualquer João ou José, que busca nas simples coisas a real felicidade. Não sei traduzir em palavras, em música ou em literatura tudo que assoma-se às profundidades da minha alma e guia meus rumos, dia após dia, hora após hora, instante após instante. Não sei escrever por pura e simples vontade ou inspiração, e também não possuo a técnica ímpar dos grandes escritores. Possuo sonhos, pensamentos, e acima de tudo, realidades. Um extremo desejo de expressar-me através dos fonemas que transcrevo, e minhas palavras, sejam elas faladas ou escritas, expressam apenas a o que vivo ou vivi, e o que sinto ou senti. Não temo ser julgado e criticado pelos meus erros de concordância ou grafia, bem como não temo ser difamado pelas minhas falhas na condução da minha simples existência. Busco antes da perfeição, a autenticidade. Sou o que sou, e não transmito ou tento demonstrar nada além do que de fato posso ser.

Eu não sou um fingidor, à la Fernando Pessoa – “o poeta é um fingidor, finge tão completamente, que finge ser dor a dor que deveras sente”. Eu não finjo a minha dor, antes fosse assim. Também não finjo as minhas alegrias, não penso em escondê-las para não parecer idiota, pois prefiro sempre a idiotice à mediocridade de nada demonstrar. Eu não baixo meus olhos, eu não tenho máscaras. Tenho uma cara limpa que já é suja de tanto apanhar, mas que aprendeu com a vida que cada passo é único e não costuma ter volta, e o passado não se desfaz.

Não sei profetizar, nem filosofar. Ao desfilarem sobre o teclado ou conduzindo uma caneta, os meus dedos tornam-se tradutores dos meus mais verdadeiros sentimentos. Não tento escrever palavras bonitas e incompreensíveis que possam transceder os curtos limites da minha inteligência, numa pseudo tentativa de parecer melhor do que eu sou. Não sou melhor, nem pior. Não uso word para esconder meus erros, não uso máscaras para esconder minha face, não uso mentiras para esconder meus sentimentos. Sei que chorar não é a morte, e sei que sorrir não é a plena redenção. Apenas não sei calar-me! O meu grito pode ser silencioso, mas ele sempre será grito.

17 comentários:

Jéssica V. Amâncio disse...

Uau! E ainda é modesto dizendo que não sabe escrever...hahaha.
'Tenho uma cara limpa que já é suja de tanto apanhar' isso foi um socão viu?! E o 'continua sendo grito' me tirou um suspiro aqui, me fez perder o fôlego esse texto tão sincero! muito bom mesmo!!!!
está de parabéns.
E olha que coincidência,escrevi sobre 'escrever' no meu blog...haha

E mais uma vez obrigada pelo selo,é uma honra receber de alguém que escreve tão bem como você
;)

Nadezhda disse...

Sonhar e ser sincero, já é o bastante!

Conitnue assim, que escreve muito bem ;)

*Raíssa disse...

"Sei que chorar não é a morte, e sei que sorrir não é a plena redenção. Apenas não sei calar-me! O meu grito pode ser silencioso, mas ele sempre será grito."
Falou e disse! Adorei todo o texto, e você escreve muito bem sim!
Beijos

Flávia Fabri Cesário disse...

Vini!!!! Texto maravilhoso!
Te admiro mto pela sua autenticidade! Parabéns por demonstrar seus sentimentos, desde os mais tristes aos mais alegres de forma tão pura e sincera. Pessoas como vc são raras.
Um beijo!!!

* hemisfério norte disse...

teu grito escrito e silencioso fez eco aqui em Pt.
Acredito que não serás um fingidor, mas a alma de poeta ninguém te tira
bjs
a.
http://miniminimos.blogspot.com/

Larissa Freire disse...

Coloquei uma enquete no blog.. Passa lah e vota! inté...
Se serve de consolo.. tbm naum tenho dom pra os contos...

• Camila disse...

E ainda fala que não sabe poetizar e nem escrever cronicas!
sdkfhosair

VOCE ESCREVE TÃOBEM!

é eu sei que sentirei falta.. e não sei ainda se isso é bom ou ruim!
hahaha

Andréia disse...

olá! que bacana! adorei o seu post e a simplicidade que vc escreveu. vc escreve muuuito bem! eu adorei!

beijokas

T disse...

NOOOOSSA!
adorei tudo
principalmente o desfecho do texto.
Você não sabe escrever?
Quem sou eu então?
:~

fica bem :*

Ana Luíza disse...

MODESTOOOOOOO...
Vc é uma das poucas pessoas que sabem traduzir o que lhe vai à alma.
Sua grandeza de espírito transcende as métricas de qualquer poema...
PERFEITOOOOOO

PARABÉNSSSSSSS
XEROOOOOOO P/ VC***

Elis disse...

pois tu não es poeta nem artista..mais escreve um muitõa bom..rsrs de coisa boa!
belos textos...quer saber? tudo no final vira um pouco de poema de vida...de lenda ,de saga, de escritos ..
tudo isso aqui que fazemos nós meros blogueiros irá de certa maneira no compor nossa história...no legado de nossa vida...

Bjs!

jeeh disse...

Oii, voce sabe escreveer siim eein ;D
amei quando voce fala que chorar não é a morte, e sei que sorrir não é a plena redenção. Apenas não sei calar-me! O meu grito pode ser silencioso, mas ele sempre será grito.haha

beijos e bom fds ;D

Flávia disse...

Eu acho que saber escrever é isso, né? É a capacidade de fluir por entre as palavras que vão nascendo... e isso, sem dúvida, vc sabe, e o faz como poucos.

E o grito... ainda bem que ele não cala :)

Beijo!

Nina Ferreira disse...

Que é isso!
Não me derreta assim em elogios, posso ficar muito mal acostumada, rapaz.

Vejo que sua alma manja muito de literatura, pois se você não tem o dom de converter sentimentos em poesia, ela nasceu pra isso. ;D

Abraço!

jeeh disse...

vinicius, voce é um amor, brigada pela ideia, quando eu escrever meu texto no blog, quero a sua opiniao ok? rs

Luifel disse...

Pô velho, modesto pra caramba vc hein!? Huahua

Kra, seus textos são sempre e esse daí sem comentários.

Abç

♥ Bruh Waltrick ♥ disse...

Oi tudu bem? Passa lá e comenta tem...novidades novas...espero que goste, bjus e parabéns pelo blog, muito lindo!!
pode me dar o endereço de alguns sites que tem codigos de layout (templates) ou algo assim? Vlw