quinta-feira, 21 de agosto de 2008

A Semente


Nascera das profundas e verdes folhas de sua mãe. Por muito tempo, interminável tempo, habitou os braços maternos, guardada por entre folhas e flores que a abrigavam com carinho e proteção. Sabia que ali estava protegida do mundo e das maldades que ele poderia trazer. Banhou-se de muitas e muitas gotas de orvalhos gélidos e insensíveis, que a faziam sentir um frio incomensurável, mas sabia que logo chegaria seu amigo, o sol, para aquecer-lhe juntamente com as pétalas das flores de sua mãe. Ela sabia que um dia também precisaria tornar-se flor, fruto, mãe... sabia que necessitava do amigo sol, da implacável chuva, dos carinhosos beija-flores. No entanto, o medo do futuro ainda tomava conta de todos os seus pensamentos, mas ainda assim, ela cresceu. Cresceu tanto que um dia os calorosos braços de sua mãe já não podiam mais suportá-la, e ali seria a morte. Era estranho. Mal apreciara a vida, e já teria que aceitar seu fim. Mas assim como sua mãe o fez, ela admitiu que esta era a lei natural, e que também precisaria ser mãe.

Caiu por terra, morreu, enterrou-se, para só então ressuscitar, bela, forte e mãe.


PS - Peço desculpas a todos pela momentânea ausência nos blogs. Ando extremamente atarefado e sem tempo para apreciar os textos da maneira que eu gosto, procurando entendê-los e senti-los, e comentar por comentar nunca foi meu estilo. Mas prometo que em breve voltarei a lê-los, até porque é uma das coisas que eu mais gosto de fazer! Beijos e abraços!

14 comentários:

lotto 649 numbers disse...

i'm also into those things. care to give some advice?

Camilla disse...

Eu me sinto como essa semente.

Preciso aprender a crescer.
=(

Camilla disse...

Nossa, lindo...
Você é um artista!!

E relaxa, tenha todo o tempo do mundo pra fazer suas coisas!! Não se preocupe...

Beijos

Camila disse...

A tragetória de vida da semente é lindissima!
Saudades!
=***

KaKa Fuinha disse...

:D

ki bonitinho
:D

amei

bjo

Nadezhda disse...

Logo encerro um ciclo na minah vida e não sei o que será daqui pra frente. É esse medo que sinto, mas sei que quando chega a hora, é assim e não tem jeito. E é natural e saudável ;)

*Raíssa disse...

Que lindo, Viny!

Todos nós temos que sair debaixo das asas de nossas mães um dia, por mais difícil que seja. Faz parte do ciclo natural da vida.

Beijos!

Andréia disse...

lindas palavras, linda mensagem..

beijos moço!

Kamilla disse...

Adorei o seu post! É do tipo de história que é sem idade, pode ser contada para crianças, jovens, adultos e idosos e trará bons sentimentos aqueles que a leem!

Drêycka disse...

hey you!
tb to bocado em falta pela blogosfera!

bjuuu

Flah disse...

Caiu por terra, morreu, enterrou-se, para só então ressuscitar, bela, forte e mãe.

Perfeito. Mesmo.

Beijos :)

Olirum disse...

Ótimo texto, perfeito como os seus textos sempre são.
Sumiu mesmo
asksakoppask

paula barros disse...

Vinicius
Quanto ao seu comentário: Estou aproveitando o momento, pois tudo na vida passa. As vezes sinto os meus sentimentos e momentos feito um algodão doce, belo, colorido, saboroso...mas que a qualquer momento pode se dissolver e melacar tudo..Então temos que saber tirar proveito dos momentos bons e ruins. Assim estou me sentindo. Obrigada pela visita sempre atenciosa e carinhosa.
------------------------
Quanto ao seu belo texto. Menino, queria eu ficar sem inspiração, feito você disse um dia e voltar com um texto desse nível.
Somos feito a semente....igual ao seu texto. Quando compreendemos isso, sabemos que teremos o dia de crescer, frutificar, viver novas dores, e crescer de novo....O viver é assim cheio de ciclos, de fases....
Belo texto. Fiquei emocionada pela beleza da escrita, pela filosofia de vida...
abraço

Jéssica V. Amâncio disse...

adorei!tantas vezes queria ser semente pra sempre,mas como você mesmo escreveu,é a lei da vida,nascer,crescer,cair e morrer.
não canso de dizer que adoro seu jeito de escrever,sempre transforma as coisas mais complexas em verdes à nossa frente=)
beijão!senti saudade de te ler.