segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Apenas Mais Uma Reflexão

Desde que me entendo por gente, ouço um famoso jargão que provavelmente meus pais também devem ter ouvido, e certamente meus filhos ouvirão: “os jovens são o futuro da nação!” Tendo em vista as proximidades das eleições municipais, e acompanhando as notícias políticas que ascenderam assustadoramente nos últimos dias devido ao fim do processo eleitoral e necessidade de escolha dos candidatos, passei a refletir um pouco mais a respeito de qual futuro poderemos, nós jovens, proporcionar ao nosso país.

Quero salientar que em momento algum admito que este futuro esteja relacionado apenas às questões políticas do momento, mas é preciso reconhecer sua importância. Infelizmente a nossa geração anda um pouco marginalizada com relação à sua consciência cidadã e política, de forma que não podemos antever o que nos espera com tanta clareza assim. Obviamente, os que estão lá no poder são culpados por tanta desilusão, pois basta ligar uma TV num telejornal para recebermos notícias e mais notícias de corrupção e má utilização do erário público, como se este apenas servisse para proporcionar o bem estar dos que hoje gozam de um mandato eletivo. Em contrapartida, nossos impostos crescem a cada dia mais, e nós, que não temos o poder, somos cada vez mais sacrificados. Porém, levanto também a questão da inércia da nossa juventude, e aí eu me refiro não somente aos outros jovens, mas também a mim. Somos extremamente críticos e estupidamente acomodados. As coisas acontecem a nossa frente o tempo inteiro, e não somos capazes sequer de nos mover para buscar uma solução prática, afinal, é muito mais fácil criticar o governo e culpar os governantes. É o governo que tem que recolher o papel de bala que nós insistimos em jogar na rua, é o governo que tem que alimentar o mendigo faminto, enquanto nós jogamos boa parte do nosso almoço no lixo. Estes são exemplos simples de atitudes que cometemos diariamente sem perceber, e que fogem a qualquer noção de cidadania e boa vontade. É triste, apesar de justificável, um jovem dizer que odeia política! Podemos odiar alguns políticos, mas precisamos aprender não a gostar, mas a ser, de fato, mais políticos. Reconhecer que temos o nosso papel no desenvolvimento da nossa cidade, do nosso estado e do nosso país não impede que vivamos a nossa juventude. O governo é sim, peça fundamental através de suas ações promovidas com o nosso dinheiro, mas nenhum povo se desenvolve sem que haja a sua própria consciência da necessidade de desenvolver, e é a partir dessa consciência, que nós precisamos aprender a entender um pouco mais da política e da nossa atuação dentro dela, seja na política partidária, seja no exercício da cidadania.

Somos sim, “o futuro da nação”, e precisamos assumir de vez este rótulo, mesmo que em meio a tantas adversidades. Quero crer que nenhum de nós quer viver num país desigual, recheado de egoísmos, mentiras, falcatruas e injustiças. Sendo assim, é de extrema importância compreender que isso depende muito mais de nós, que somos povo e que somos jovens, do que dos governos, pois estes passam, enquanto nós estaremos lá, daqui a 30 ou 50 anos, para viver este futuro pelo qual somos responsáveis.

A inteligência, creio eu, não se restringe à nossa capacidade de ser bom no que escolhemos para fazer profissionalmente, mas sim na nossa capacidade de enxergar o mundo e as coisas que residem sobre ele com olhos mais vastos, mais amplos do que o paupérrimo discurso de que nada do que está aí presta. E mesmo se esta premissa fosse verdadeira, caberia a pergunta: e você, o que está fazendo para ser diferente? Infelizmente, a resposta é nada. Nada, ou quase nada, temos feito em prol do futuro que representamos, a não ser culpar a tudo e a todos. Eu quero que a minha geração seja muito mais do que “créus” ou “melancias” ou “chupa que é de uva”. Não recrimino os meios que temos usado para viver nossa juventude, apenas tenho a certeza de que ela não irá durar para sempre.


Pensemos nisso!

28 comentários:

Marcela disse...

"Somos extremamente críticos e estupidamente acomodados."

Definição perfeita, não só para os jovens, mas para a maioria dos cidadãos. Reclamamos, reclamamos e não fazemos nada, inclusive eu.

Também não quero que meus filhos sejam da geração créu, e sei que grande parte disso depende de mim.

Parabéns pelo post, eu aplaudo de pé.

Abraços.
Vou te linkar.

disse...

TOCA AÊ o/
hahahahha tá tá todo mundo poe culpa* nos jovens pq são o futuro e bla bla bla e ficam esperando SÓ doos jovens né!
HUNF.

Adote a nova maneira hahaha
foi legal né!? =)

o que me vier à real gana disse...

Olá! Obrigado pela visita. Espero que sim, que passe por lá mais vezes e que comente.
Excelente texto. Inteligência emocional: precisa-se desenvolvimento dela!

Mariana disse...

sabe o que falha??

Essa concepção errônea de política.....

tanto para jovens quanto para não jovens!

beijos

paula barros disse...

Eita rapaz para escrever bem e com uma consciência das responsabilidade de cidadão, do papel do ser humano. E não é só por esse texto.

abraços

Camila :) disse...

esse ditadoo pra mim nao é valido ppq todos nos somos responsaveis pelo mundoo neh xD ahuahuauh

bejooo

Camilla disse...

Pois é, a juventude anda perdida.

Ainda bem que eu não concordo com mais da metade das coisas que a nossa geração faz.

Beijos

Idylla disse...

pois ehhhh tem q aproveitar e curtir p eskecer o stress do dia a dia...qndo vier a bahia m preocure q te levo nas baladinhas tb hauauha....
bjaum viniiiiiiiiiiiiiiiiiiii

*Raíssa disse...

Vini, você está certíssimo!
"Somos extremamente críticos e estupidamente acomodados."
Eu sou uma que odeia política e não se mete em nada relacionado a ela. Acho tudo muito confuso e desonesto.

Realmente o nosso futuro está meio (?) perdido. Vejo isto apenas observando e convivendo com meus coleguinhas de classe. Metade da sala é maconheirae e boa parte eu nem sei o que está fazendo lá, pois não o mínimo valor à faculdade que está cursando com o dinheiro dos pais. E isso não acontece só na minha faculdade, em muitas outras sei que a situação está até pior. Isso é triste: o jovem, o futuro da nação, cagando e andando pra mesma e pro próprio futuro, tsc.

Obrigada pelo elogio ao meu post :)

Beijos!

Nadezhda disse...

Não fazemos nada, a não ser reclamar, ou sentir pena. Couisas assim nunca mudaram o mundo e nunca mudarão.

Tenho medo de que o futuro nem exista, ou que seja algo insuportável de se viver. Não quero achar também, como jovem, que sou o futuro da nação. Quero ser e fazer parte do presente.

;)

Camila disse...

Meu Deus, como assim: "Apenas mais um reflexão?"
Vini, teu texto deveria ser publicado em todos os jornais... quem sabe assim todos pensassem e daí poderemos memlhorar nosso meio?
Beijo

T disse...

Adorei o modo como expôs seu ponto de vista, tudo ficou bem explicado. Os exemplos que você usou no final são os melhores a serem ditos, também não ricrimino mas...Hahaha
Penso como você Vi.
Gostei muito.
Beijo

GUILHERME PIÃO disse...

Não só os jovens mas todos perderam a consciência e a razão.
Tera que ter uma revolução racional e cultural para que as coisas voltem aos eixos.
Abraços

instantes e momentos disse...

muito bom texto, a realidade é essa.
Maurizio
* vim conhecer teu blog, muito bom. Parabens.

Quase Trinta disse...

Que todos os jovens que são o futuro dessa nação pudessem ler seu texto e refletir sobre.
Precisamos de conciência política, cidadania.
E não dá pra deixar esse assunto para o futuro se quisermos ter um futuro.

Nunca é tarde para ser feliz! disse...

Parabéns pela iniciativa de postar sobre a necessidade de mudança da mentalidade do jovem brasileiro!!! Bjs

o que me vier à real gana disse...

Olá! Tá na altura de um postezinho, heim? Aqui vale a pena, por isso não dá para parar! Claro, a qualidade não se vê ao metro!

Se puder, dá uma saltada ao meu blog e comenta o último post, tá?

Fica bem!

Diego! disse...

Aquela máxima filosófica:
“Ado, a-a-ado cada um no seu quadrado”.
Parece ser o lema do cidadão brasileiro. Eu na verdade crio a minha maneira de manifestação. Digo o que penso. Por mais que os outros achem um absurdo.

Na verdade... Ninguém quer a briga de outro. Sem saber que essa briga é a dele também.

Até....

Zek disse...

Posso discordar de você meu amigo?? sabe qual é o grande problema é considerar esse conceito" Futuro da nação" .. nós somos o " presente da nãção", é agora que somos jovens que devemos fazer as coisas acontecer e não no "futuro" .. quando teóricamente seremos " velhos", o dia em que se falar que os jovens são o " presente" as " pernas e braços " da nação... talves a gente saia desse estágio de letargia.

PS: Postar mais vezes não dá cara, to quase enlouquecendo ......

Camila :) disse...

hehee te linkeei :)
num tinha visto eu aki ahauhauh

bejoo

KaKa Fuinha disse...

meu caro... como sempre, mto certo... mas vc esqueceu um detalhe importante para avaliar a situação completa...
nossa geração se tornou acomodada por incentivo do governo...
o governo adestra a população e isso faz com que nos tornemos cada vez mais acomodados...
aqui existe quase que unicamente a politica do "pão e circo". alimentar e entreter... eh soh isso que eles fazem...
e isso eh um detalhe fundamental da nossa politica, infelizmente...

ps: faz tempo que a gente naum se fala pelo msn, como anda vc?

Nunca é tarde para ser feliz! disse...

Pois é Vinícius... faço minhas as suas palavras!!! Que Deus ilumine cada cidão que irá votar nesse domingo!!! Obrigado pela visita...
Bjs

disse...

aii que comentário lindo! =)
adorei haha
obrigada viu!!!

beijãoo

Andréia disse...

oie! ótima reflexão e concordo com vc... agente aponta o dedo + nunca toma parte da responsabilidade

ate+

Humana disse...

Perfeito Vinicius!
Como dizes falta pôr em prática.É preciso ousar, intervir, falar...
Realmente os jovens são o futuro isso não há dúvida!A crítica pela crítica apenas, não basta.
Beijinhos e parabéns pelo texto e principalmente pelo conteúdo do mesmo.

Camilla disse...

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.
(Bertolt Brecht)

Esse pequeno trecho do Brecht, resume tudo que eu queria dizer sobre a sua postagem Vini.

Parabéns!

Camilla disse...

Ahhhh, esqueci de dizer sobre os jovens:

"Até bem pouco tempo atrás, poderíamos mudar o mundo. Quem roubou nossa coragem?"

Tatah Marley's Confissões disse...

..estupidamente acomodados.'

nada mais certo!
Infelismente nos acomodamos muito e nos contentamos com pouca coisa demais..
e isto só nos faz andar pra trás..
o medo de se desapegar a cosias supérfulas e desnecessárias e a preguiça de seguir um novo rumo, um novo caminho, nos faz ficar presos sem de fato, evoluirmos.

ótima reflexão!
beijinhos
;*