quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O Barco

... e o barco estava preso!
Ancorado, amarrado, suspenso, na areia,
não conseguia chegar ao mar!
Por mais que quisesse,
por mais que lutasse,
o peso do ferro e das cordas
que o entrelaçavam
era insuportável!

O barco não podia mover-se!
Vivia assistindo o vai-e-vem das ondas,
peixes, algas, lua, sol, areia,
e ele inerte, sem mover-se!

Mas o tempo passou,
e o seu efeito fez-se presente naquelas cordas,
desgastando-as, corroendo-as,
até que chegara o dia delas romperem-se,
e libertarem o pobre barquinho,
para que ele pudesse ir ao mar,
e navegar!

Agora,
ele entrou na imensidão do mar,
e segue navegando, navegando,
mesmo por mares revoltos,
mesmo por ondas gigantes,
ele segue, feliz, confiante e decidido,
por vezes balançando, falsiando nas ondas,
mas ele tem a sua lua, a sua força,
que não o deixa afundar jamais!
E segue navegando, navegando...

16 comentários:

Camilla disse...

E serei sempre sua lua, estarei lá, sendo iluminada por seus raios de sol, que também me fazem navegar num mar de felicidade, de intensa felicidade.

Eu amo você, meu barquinho lindo!

Cαmilα ♥ disse...

E que este barco continue navengando, pois apesar do mar revolto, sempre haverá belas paisagens.

Lindoooo demais!

Giselle disse...

Vi,
que coisa linda, Adorei ...
E na realidade nossos dias são como o barquinho né?
Beijose lindo fimd e semana

Gaby Almeida disse...

Quer saber... eu sou esse barco...

obg pelo carinho lá no meu blog...

E.Suruba disse...

parece música
ficou mt bom

[ rod ] ® disse...

os ares além-mar invocam sentidos tão galopantes que a brisa pode ser somente um alento.. abs meu caro.

Ni ... disse...

Coisa linda este amorlua que te faz feliz..!

Beijo e mais beijos...

Jeeh disse...

Nós somos esse barquinho, sabia?
Por vezes em nossas vidas estamos presos, deixamos o medo nos acorrentar, ou então, se algo não dar certo, desistimos sem tentar mais vezes, ficamos imóveis, perdemos a força.
Vemos as pessoas seguindo suas caminhadas, dando novos rumos às suas vidas, e continuamos ali no mesmo lugar, parados, com receio de arriscar...
Porém com o passar do tempo aprendemos com toda essa situação, abrimos os olhos e conseguimos enxergar melhor, nos livramos de todas as amarras que nos impedem de navegar em busca do que o nosso coração anseia.
Então entramos na imensidão, somos assaltados por momentos difíceis, balançamos em certas situamos, caímos, mas nos levantamos, sempre persistentes, sempre com um sorriso no rosto, deixando a esperança reinar dentro de nós e a vontade de ser feliz nos guiar nesse imenso oceano chamado VIDA.

Obrigada pelas belas palavras em meu blog. Adoro-te Ví, meu amigo incomparável.
beijo

Luifel disse...

Cara, esse seu poema me remeteu aquela classica música que a Nara Leão interpreta e eu adoro. No fundo, todos nós somos "um barquinho a deslizar no macio azul do mar" como diz a música!

Abção!b

Heloísa Vilela disse...

Muito bonito, gostei de verdade.
Esse barquinho, penso eu, é a vida. O que me assusta é ficar ancorado para sempre. Não quero que isso aconteça nem com o meu barco nem com o de ninguém.
A vida é muito boa pra quem realmente vive.


Vim pra avisar que tem um selo pra você no meu blog.

Beijos'

Srtª Elis disse...

Sempre navegando navegando... com luas , com forças que emanam lá do alto chegaremos em nossa historia.....
xeroo !

Marcela Fernanda disse...

Quee belo post! :) O importante é que o barquinho nunca deixe de se permitir navegar. Abço

Moni disse...

lindo poema... assim é a nossa vida! adorei beijos

Toni disse...

Super inspirador...
Lindo.

Anônima e desconhecida disse...

lindo! apalusos pra você, pq vc merece!!!

no momento eu me sinto como um barquinho preso com sua ancora mto pesada... mas eu ainda vou me soltar!! ah se vou!

bjão.

Tatá R. da S. disse...

Lindo demais.
Perfeita metáfora feita sobre o poder do tempo na superação dos sofrimentos.
Beijos.