segunda-feira, 11 de abril de 2011

What a Wonderful World


Eu desejava ouvir o assovio dos ventos, sentir o perfume que exalava das rosas, ouvir o trino dos pássaros numa manhã ensolarada. Sonhava em ver as pessoas sorrindo, inteligentes, idosos felizes ao poder compartilhar grandes experiências de vida. Acreditava, sinceramente, no lado humano das pessoas, em seu bom senso, elegância, capacidade de encarar a vida de forma a fazer sempre o bem, sem nada cobrar, nada querer, porque sempre pensei que fazer o bem fosse a coisa mais prazerosa do mundo.

Uma noite linda em que eu podia quase pegar as estrelas com as mãos e apreciar o seu incandescente brilho. Em meus sonhos, eu conseguia sentar num banco de praça, numa rua onde as crianças brincavam no parque de diversões, e namorar à luz da lua, sem que ninguém me subjulgasse por isso, porque não havia maldade nas pessoas. Cada um se importava apenas com a felicidade do outro, cada um buscava dentro de si a própria alegria de viver e espalhava essa alegria aos demais, pois todos eram irmãos...

Eu acreditava na paz e no amor como preceitos básicos para a sobrevivência humana. Não via maldade, não via dor, não via angústia, porque meus olhos só enxergavam um futuro cheio de sonhos bonitos e desejos realizados.

Até que um dia, eu abri os olhos, e chorei.

2 comentários:

Mayra disse...

Um dos textOs mais lindOs que já Li... adOro vc amigO! fique sempre bem...

Um brasileiro disse...

Olá. Estive viajando na blogosfera e dei uma parada aqui. Muito bom o texto. Gostei. Apareça por la. Abraços.