sábado, 20 de agosto de 2011

(In)finita Highway


Peço licença ao poeta para adentrar em sua sucinta genialidade. Peço licença para ser atrevido com os meus valiosos leitores, mesmo que eles não venham a existir. Quero apenas expressar a alegria de poder viver nesta Infinita Highway, correndo seus riscos, muitas vezes sem ninguém por perto... o silêncio do deserto faz com que eu me sinta só e sem saber onde vou parar, mas acredite, caro poeta, ainda tenho razões para estar vivo, e se as palavras estão escondidas no horizonte, faz parte do meu desejo mais profundos encontrá-las, mesmo que a estrada continue cada vez mais árdua.

E permita-me, amigo poeta, discordar de seu brilhantismo. Apenas o fato de o vento poder soprar uma canção em nossos ouvidos a cada dia que acordamos, já se faz motivo para sorrir, pois uma canção cantada pelo vento nunca é tocada sem razão. Sendo assim, não ficaremos parados, com a cabeça nas nuvens e os pés no chão. Há muitas pessoas que precisam encontrar a felicidade, muitas pessoas que precisam apenas de um abraço, de um carinho, de atenção, para poder entender que somente nós mesmos somos capazes de guiar-nos rumo aos momentos de alegria que esta Finita Highway ainda pode nos trazer. É bom ser livre.

A liberdade de correr, mesmo que sozinhos, por essa estrada tão longa e perigosa, é exatamente o motivo que temos para buscar aprender com os obstáculos, virar uma curva, mudar o caminho, quando for preciso. Estar vivo é estar na estrada, e não importa o quão tortuosa ela seja, o horizonte sempre estará lá, a nossa espera, e desistir de chegar até ele é sentar na estrada e pedir para ser atropelado. Sim, eu também tenho os olhos úmidos, amigo poeta, e também sei que é inútil ter certeza, mas não são as placas da estrada que me guiam, e sim a minha imensa vontade de chegar, e chegar bem.

E assim vou, a 110, 120, 160, porque eu sei que o motor vai aguentar, porque além do gosto do chiclete menta que agora substitui o beijo, eu sei que ao cruzar a linha do horizonte da felicidade, serei capaz de desfrutar do mais saboroso beijo, mas para isso, é preciso chegar, pois a Highway não é infinita.

3 comentários:

L.Nunes e L.Braga disse...

Que texto genial! Essa música com certeza é uma das minhas preferidas, parabéns!

Carla Leão disse...

"...Estar vivo é estar na estrada, e não importa o quão tortuosa ela seja, o horizonte sempre estará lá, a nossa espera, e desistir de chegar até ele é sentar na estrada e pedir para ser atropelado..."

Sem mais. Perfeito!
Beijo

=^.^= Amanda disse...

Simplesmente maravilhoso! Adorei Vi! Nem tenho palavras pra expressar... perfeito!

Beijãooo