sábado, 24 de maio de 2008

Naturalmente


O som de sua voz aguçava meus sentidos. Naqueles dias negros onde você era a única luz, senti meu mundo acabar, bem como aquele nosso mais lindo sonho. Foi num fim de tarde, eu vi as lágrimas brotarem dos seus olhos como que a jorrar o resto de tudo o que sentíamos, e à medida que o sol ia descendo, nosso amor ia findando. Anoiteceu, os brilhantes raios lunares já não eram tão brilhantes assim, e a leve brisa litorânea que soprava, levava com ela o nosso tudo, a nossa vida, os nossos planos. A dolorosa madrugada viria, trazendo com ela todas as lágrimas de dor, a insônea latejante e cruel, e tristeza, muita tristeza. E o sol de um novo dia veio a nascer. Nada seria como antes, mas as lágrimas de dor eram agora lágrimas de saudade. E de novo o som da sua voz, a fazer-me recordar aquele fim de tarde, a noite, a madrugada, o ontem, o sempre, o amanhã; e assim, entendi que o vento voltará a soprar, e todos os elementos da natureza unidos trarão de volta o que um dia foi felicidade.

Assim, naturalmente!

17 comentários:

Nadezhda disse...

"trarão de volta o que um dia foi felicidade".

Mas será mesmo que a felicidade vai embora^? Acho que ela só fica um pouco adormecida ;)

Teresa disse...

eeeeeiiiiii

quero umm post FELIZZZZZZZZZZZ da próxima vez, viu?
rummmmmmm

heheh

bjo

Nanita disse...

Que belo isso, é tão ruim o fim!
e eu estou na mesma espera que a sua, como você mesmo disse 'que um dias os elementos tragam o que foi felicidade'. Adoravél forma de descrever a perca. Beijos :*

Camilla disse...

Isso lembrou a mim mesma. Sofrimento por um outro alguém. É mesmo na madrugada que as lágrimas amargas descem, que a angústia toma conta do peito, que a vontade de morrer se deposita na gente. O fim de tarde é o momento que lembramos melancólicos de tudo que vivemos, momentos bons ou ruins. De manhã, sentimentos a sensação de que o mundo continua girando e de que apesar da nossa dor, ele nunca pára. Lindo texto Vinicius...

Beijão!

Flávia Fabri Cesário disse...

Já senti a dor da perda tantas vezes... já senti o perfume, o toque ao lembrar do ser amado que foi embora... o som da voz me perturbou diversas vezes...mas o tempo leva embora todas essas sensações...
Momentos bons e ruíns que constroem nossas histórias!
Belíssimo texto, Vini! Parabéns!

*Raíssa disse...

Certas coisas que não voltam mais nos dão muita saudade. Dependendo do que for, ficamos felizes por um momento ao nos lembrarmos delas. Mas depois, infelizmente, ficamos tristes por não voltarem mais.
Lindo texto!
Beijos

♥ Camila disse...

que booom que voce gostou!
hahhaha

amei o texto!

Drêycka disse...

mui legal...
ei, vc tb eh nordestino, neh?
gostei do seu blog.

flw

Drêycka disse...

Bem, sou de Recife (ou quase isso.. kkk)

dreycka@msn.com --> mas soh uso fds, em casa. Aki no trabalho n dá.

xero

Lizzie disse...

"A dolorosa madrugada viria, trazendo com ela todas as lágrimas de dor, a insônea latejante e cruel, e tristeza, muita tristeza."

Sabes, Vinicius, minhas madrugadas normalmente são assim. O dia costuma ser feliz, sem problemas mas quando a noite vem chegando, vem chegando também uma saudade-não-sei-do-quê, que dói-não-sei-onde, e que me deixa angustiada. Não chega a ser nostalgia, acho que é saudade do que não vivi. Já sentiste isso?
Gostei muito desse post. Me remeteu ao término de algum tipo de relação, não sei se de amor conjugal ou amor fraternal, ou quem sabe amizade, não sei. Mas sabes, me remeteu à muita coisa que eu costumo deixar em 'off', pra não lembrar, nem esquecer.

Quanto ao conto, fico imensamente feliz[zie] que tenhas gostado. :)

Beijocas
www.lizziepohlmann.com

PULCRO disse...

Lindo blog. Lindos são os textos.
Desculpe-me a invasão.



http://pulchro.blogspot.com/

Nina Ferreira disse...

Seu texto me lembrou muito o Soneto de Despedia de Vinícius. Muito bem!

Abraço!

Fulô disse...

opa!
poxa, obrigada por ter lido!
fico contente que tenha gostado!
qnd eu atualizar te aviso!

. C a r o l disse...

Nem vou tentar definir o sentimento que te levou a escrever o post...
Mas, inegavelmente cada trecho abunda sentimento.

Ai, ai, ai.... Queria eu ter nascido com o dom de transformar sonhos, vontades e todos os meus sentimentos em algo tão simples de se ler e entender.
PARABÉNS.

Ótima semana aí....


http://no__sense.blogger.com.br/

Flávia disse...

A vida da gente é assim, feita de madrugadas e manhãs... as manhãs sempre chegam - por mais frias e intermináveis que pareçam as madrugadas, mas às vezes a gente insiste em permanecer com as cortinas fechadas... e não vê o solzão brilhando na fora.

Abre essas cortinas :))

Beijo!

Luifel disse...

Kra, fim é sempre doloroso, mas sempre traz a esperança de um novo amanhã, sempre muito melhor, pois como diz o tão famoso Lulu Santos:"Nada do que foi será, do jeito que já foi um dia"

Abç.

Em tempo, tem um selo pra tu no meu blog.

 Fabíola Weykamp disse...

Ai, que lindo!!
Mesmo que o tempo separe, que o momento dos envolvidos não seja o mesmo, sempre terá a ponta de esperança nos esperando ao fim de cada desesperança. Sempre!

* "E o amor não vai embora, se foi, não era amor".

Beijos e adoro passar aqui, mesmo que sem muito tempo...