sábado, 18 de dezembro de 2010

Eu e meus fantasmas


Há tempos convivo com vários fantasmas em minha vida. Desde a época da infância, alguns deles fazem questão de fazer parte do meu dia-a-dia, de me atormentar, de tirar-me o sono e a paz. Na adolescência, novos fantasmas surgiram, estes mais ferozes em sua arte de assustar-me e fazer com que eu adquirisse ainda mais alguns receios. Veio a idade adulta, junto com ela diversas responsabilidades. Apesar disso, os monstros que sempre me assustaram não se foram, continuam aqui, ao meu lado, com o agravante de tornarem-se adultos como eu, e ainda maiores, além do fato de que novos fantasmas têm surgido ao logo dessa minha nova caminhada.

Pois é, viver nunca foi fácil, e ninguém jamais disse isso. Sinto-me uma gota de água no meio de um oceano, mas assim como sei que o mar é formado por muitas e muitas gotas, sinto-me necessário, e o sentimento de ser útil, essencial, não apenas para mim mesmo como para as pessoas que amo, é o que me faz continuar, lutar e buscar as forças para lidar com todos os medos e fantasmas que insistem em conviver comigo.

Admito que há noites em que ainda perco o sono. Mas apesar disso, sei que novos dias virão, novas expectativas. Apenas preciso aprender a lidar com situações menores, por assim dizer, que ainda me causam tanto mal, devido à minha enorme sensibilidade. Saber encarar melhor o presente e o futuro, deixar o passado para trás, principalmente aquelas lembranças que tanto me incomodam e me destroem por dentro. Preciso entender que pessoas erram, acertam, vivem, e que o importante é o que eu tenho aqui comigo hoje, que é exatamente o que me fornece alimento para que eu possa construir o meu futuro.

Portanto, mesmo que estes fantasmas insistam em rodear-me, vou me manter forte, porque sei de onde vem a minha força e sei para onde ela vai me levar. Não sei se vou deixar de ter medo, mas sei que aprenderei a conviver com ele, já que de uma forma ou de outra, o medo faz parte de todos nós, e pode, inclusive, ajudar-nos em nosso processo de crescimento.

2 comentários:

gabriela marques. disse...

Vivo com medo de viver também. Mas não almejo nunca ser apenas mais um número de RG. Como você mesmo disse, Vini, o mar é formado por diversas gotas d'água. Nunca seremos desnecessários. No mundo, todos nós temos um propósito e espero fazer o meu com sucesso, sem que o medo me atrapalhe a realizá-los.

Saudades de vir aqui.
Desculpe minha ausência.
Adorei o layout novo!
Acho que vou copiar aquele seu marcador de visitas ao lado... me apaixonei por ele. Ele mostra a cidade e todo mais. Adorei!

Enorme beijo, Vinicius.
Ótim fim de semana a ti.

mô. disse...

"e o sentimento de ser útil, essencial, não apenas para mim mesmo como para as pessoas que amo, é o que me faz continuar, lutar e buscar as forças para lidar com todos os medos e fantasmas que insistem em conviver comigo."
Me identifiquei com essa parte do texto.
as vezes nós sentimos tão fraco, não é mesmo?! como se nossos fantasmas sempre falasse mais alto e depois parammos um pouco pra pensar e vemos que nem tudo está perdido e que existe pessoas que precisam de nós.. esse é sempre o incentivo para não desistirmos.
um beijo, vini <3'