domingo, 13 de abril de 2008

Tudo a Dizer, Nada a Falar

Incansável vontade de escrever, sobre o nada, ou sobre o tudo! No momento em que meus olhos se abrem e minha revolta torna a corroer todas as veias do meu futuramente pútrido corpo, faz-se necessária uma mínima reflexão literária que certamente não me levará a nada, a não ser a mais uma decepção com a minha ímpar capacidade de falar muito e dizer nada.

Vontade de chorar, e vontade de sorrir! Mas por que sorrir, se chorar não adianta nada? Também não adianta sorrir enquanto muitos choram. O sentido das lágrimas alheias cada vez mais torna-se o principal motivo da felicidade de poucos, a fim de disfarçar da forma mais idiota possível o nobre ato de ingerir um sorriso que jamais será verdadeiro.

Vivemos, então, longe de tudo aquilo que julgamos correto, se é que ainda somos capazes de julgar. É infeliz o ser humano que vive diante dos escárnios mundanos que ostentam exatamente o que não podemos ser, e nunca poderemos. Então, é infeliz todo ser humano que vive numa Era de mentiras, onde o poder significa esmagar cada noção de humanidade, por menor que esta seja, porque ser humano é exatamente não sê-lo, pois sendo-o, na verdade não será, ao menos para o mundo.

Olhemos, portanto, para dentro de nós mesmos, pois está cada vez mais difícil olhar adiante, e olhar adiante é ver os outros. Jamais iremos conseguir entender ou sequer imaginar o que pode estar a nossa frente, até porque também não o queremos, visto que temos pavor de constatar que não somos nada, mesmo achando que somos tudo. Não é conveniente. Mas o que são conveniências senão as mais falsas idéias de retidão e verdade? Por si só, são excludentes. Significa escarrar e vomitar e golfar no próximo, em nome de um benefício que na verdade só nos faz mal. Mas eu já disse: o certo é errado, o errado é certo! Olhando para dentro de nós mesmos, não enxergamos a mais pura e verdadeira realidade de que na verdade nada representamos, e nada do que temos tem qualquer valor real diante da imensidão do que é o mundo em si, e o que pensamos ser valioso, nossos bens, posses, poder, nada valem, porque no fim de tudo não passamos de matéria podre que mais cedo ou mais tarde será devorada pelos mesmos vermes dos quais hoje nos enojamos, sem saber que vermes ainda piores são alimentados por nós mesmos diariamente, e de boa vontade. Os vermes que devoram nossa alma!

É pequena a existência de seres incapazes de serem humanos. E como a recíproca é sempre verdadeira, os humanos são exatamente os que não são humanos, porque eles sim sabem o que é humanidade. Muitos pregam Deus, poucos O entendem de fato, e nenhum ser humano, cientificamente falando, segue-O.

Mas falemos muito, e não digamos nada, pois mesmo que julguemos estar dizendo alguma coisa, na verdade continuará sendo nada, já que nada é o que efetivamente somos, em nossa ínfima capacidade de sermos melhores e verdadeiros, como muitas vezes julgamos ser!

Comemoremos! O certo é errado, o errado é certo!

8 comentários:

Flávia Fabri Cesário disse...

Vini, uma das tarefas mais difíceis é enxergar-se, definir o que sente, o que deseja...
E a partir do momento que conseguimos fazer isso e começamos a agir conforme nossas vontade, pensando em nós primeiro, somos julgados egoístas...
Ess sentimento de querer dizer tudo, e não falar nada é o mesmo que sinto hoje...
Talvez, o melhor seja ficar quieto... refletindo, lendo... enfim, se afastar do mundo...
Bjo!

KaKa Fuinha disse...

otimo texto, gostei da ambiguidade das ideias...

http://blogdatolinha.blogspot.com/

Teresa disse...

você tem idéias bem abertas.
e eu diria que seu blog é brasileiríssimo hehehhe
gostei,

=*

disse...

Em certos momentos te julguei (mania maldita né?) ateu, mas a forma como falou de divindades me faz acreditar que não o seja.
Lendo seu texto pensei duas palavras: hipocrisia e insignificância.
Como pode sermos seres tão insignificantes diante do mundo e nos acharmos tudo, a "nata" do planeta e do universo.
O ser humano não sabe o que é humanidade...
Obrigada pela visita, será sempre bem vindo!

Isabella Varella disse...

Obrigada. (:
Adorei seus posts também, vou favoritar

Fernando Assad disse...

Olá! Tudo jóia?

Fico feliz por ter gostado do blog! Que bom que linkou!

Um grande abraço!

Camilla disse...

E o que é o certo, o que é o errado? Tudo é relativo, nada nesse mundo é 100% certp. Você sabe que penso semelhante a você. Lendo esse texto, arrepiei. São maioria de meus pensamentos escritos por outra pessoa. Não somos nada perante a imensidão do universo. Somos apenas seres andando desorteados, procurando alguma direção por aí. Minúsculos pontos no espaço. E uns ainda tem a capacidade de se acharem superiores, por simples aparências. Aparência? Será que é tudo o que somos? Isso é máscara, capa. É coisa que como você disse, os vermes comerão. No fim de tudo, somos aquilo que pensamos, e olhe lá, pois muitos não tem pensamento próprio. Vivem de filosofias baratas e alheias. Desta vida, não levamos nada material. Sabe, as vezes, me sinto tão mesquinha, um ser tão desprezível. Como eu posso pensar na roupa da festa, enquanto muitos estão nas ruas, sem nada o que vestir, morrendo de frio? Eu não posso ser um monstro assim. Por isso acho que temos que valorizar o outro lado da nossa vida. Valorizar os sentimentos, dar mais valor às pessoas. Preocupar antes de mais nada, com as coisas da alma, as coisas do alto. Somos formados por poeira de estrela, e nada mais justo que façamos jus à nossa formação. Temos que emitir luz própria e fazer com que nossa luz tbm ilumine outros corpos desrpovidos dela.

=)

=^.^= Amanda disse...

Vi...o dom que tem com as palavras é divino!!!
Parabéns...é muito lindo tudo o que escreve!!!
Beijãooo
Te adoro