quarta-feira, 7 de maio de 2008

Amigos?

Não há nada mais complicado do que definir o que é uma amizade verdadeira. Até mesmo discernir o quem de fato é amigo e quem não é, tornou-se uma tarefa das mais árduas. Aprendemos desde pequenos a cultivar amizades como as dos colegas da escola, companheiros de brincadeiras, vizinhos e familiares. Nosso mundo é reduzido. Em seguida, a adolescência nos traz alguns outros “presentes da vida”, como a descoberta de sentimentos até então vagos, paixão, ciúme, inveja, por exemplo. Ao descobrir que a vida não é um mar de rosas como somos levados a pensar, nossas cabeças enchem-se de dúvidas, receios, inseguranças, e uma série de outros fatores que influenciam diretamente na mudança de comportamento dos jovens. Muitas vezes somos recriminados e mal compreendidos pelo simples fato de pensarmos diferente, e os mais velhos não sabem – ou parecem não saber – que o impacto destas descobertas é extremamente violento para nossas pobres e imaturas mentes.

E então crescemos, ainda sem ter a certeza do que é uma amizade verdadeira, aquela baseada no sentimento, no companheirismo e na sinceridade. Não sabemos nem mesmo se ela existe. Todos os conflitos da adolescência, a descoberta dos novos sentimentos, fazem-nos perceber que é muito difícil definir quem está de fato sendo verdadeiro, haja vista que as decepções já foram muitas, e decepções causam sofrimentos.

Entramos na fase adulta trazendo conosco as conseqüências de todos os problemas sentimentais e psicológicos da adolescência, e na maioria das vezes nos sentimos extremamente sozinhos, não importa quantos amigos temos para beber, farrar, dar risada ou falar mal da vida alheia. Ah sim, porque conscientemente ou não, esse é o passatempo preferido da humanidade. E a verdade é que temos muitos “amigos”, mas ao mesmo tempo, nenhum. Isso porque temos também o hábito de idealizar o que seria um amigo, e muitas vezes o amigo de verdade não é aquele que idealizamos, mas aquele que verdadeiramente nos quer bem, a seu jeito, da sua forma. Respeitar a forma do outro amar ou gostar é muito difícil, porque às vezes – a maioria delas - esta forma não nos satisfaz. Enquanto isso, permanecemos iludindo a nós mesmos, gostando das pessoas erradas, enquanto as nossas amizades verdadeiras são escanteadas, e como uma planta sem cultivo, acabam morrendo. Não quero dizer que não existam sentimentos de amizade verdadeiros após os 12 anos de idade. Ressalto apenas, que é muito mais difícil encontrar o companheirismo tão necessário à nossa vida, quando crescemos e aprendemos que há no mundo um jogo de interesses e conveniências do qual acabamos nos tornando reféns, querendo ou não. E aí é complicado encontrar a verdade, porque muitas vezes nem mesmo nós sabemos se estamos sendo verdadeiros.

É difícil entender por que precisamos crescer. Parece que a vida tenta a cada dia nos trazer uma nova provação, um novo desafio, sem que haja um manual que nos ensine a enfrentar tantas coisas e ainda sairmos ilesos. O mundo mágico infantil acaba, e apesar das possíveis alegrias que o sucesso profissional e pessoal pode nos trazer, ao fechar os olhos e raciocinar, percebemos que no fundo continuamos sozinhos simplesmente porque não somos iguais a mais ninguém nesse mundo.

3 comentários:

Flávia Fabri Cesário disse...

Vini,
Sou uma pessoa abençoada por Deus, pois sempre tieve amigos maravilhosos. E com a maioria deles consigo manter contato e preservar a amizade.
Sou uma pessoa desconfiada por natureza, e além disso, tenho um faromuito bom pra saber se tal amizade será ou não benéfica pra mim. Então, quando conheço alguém e este não passa pela minha garganta, me afasto e consequentemente, ele nunca será meu amigo. Evite relacionamento. Claro, já sofri com amizades falsas, principalmente na infância, mas isso me fez calejada e se hoje, sei distinguir o que é ou não bom, deve-se a este fato.
Amizade verdadeira existe sim. Idealizar as pessoas, todo humano faz. Mas, respeitar diferenças, não. E quem sabe faze-lo com certeza, tem um grande número de amigos valiosos!
Beijos!

Dany disse...

Lindo texto. Me identifiquei bste! Realmente, crescer não é fácil. A responsabilidade, as verdades, a vida vai te mostrando tanta coisa, que se você não tiver discernimento e pés no chão, desanda.
Amizade verdadeira é algo que ajuda nisso, te orienta, te guia, te ampara, te puxa a orelha... Colegas eu tenho mtos, amizades poucas. Mas todas elas bem verdadeiras, graças a Deus. Algumas com mais de 10 anos de história. E isso pra mim é sentir-me privilegiada!
Abraço.

Andréia disse...

olá! a vida é uma loucura. as vezes reclamammos tanto da amizade dos outros que esquecemos de nos avaliar como amigos, se somos tudo aquilo que exigimos dos outros.. em matéria de amigos eu me dei muito mal + descobri que as pessoas que mais evitei são as que foram mais leais comigo.

beijokas