sábado, 3 de maio de 2008

Nota do Autor

Já faz algum tempo que através de meus textos, admito que tenho sido um tanto "meloso", digamos assim, na aventura à qual me propus de manter um blog. Embora seja uma expressão bem nordestina, "meloso" significa mais ou menos aquela pessoa que fala muito de sentimentos, e que os expressa com facilidade. Obviamente, ninguém é obrigado a "aturar" as sentimentalidades de ninguém, e não faz parte do meu feitio usar o blog como uma espécie de diário, coisa que na verdade eu repudio. Por isso, achei necessário e conveniente expressar aqui algumas explicações para a supracitada postura, que talvez seja incompreensível para alguns. Tenho passado por momentos difíceis em todos os aspectos da minha vida. Nunca fui uma pessoa pessimista e muito menos cética, mas passei um bom tempo não conseguindo acreditar em mais nada, porque assim a vida me guiava a ser e pensar. É difícil constatar que não passou de ilusão uma idéia outrora tão clara de que você estava construíndo laços fortes e eternos. Mais difícil ainda é suportar as conseqüências que essa ilusão nos traz, e as forças às vezes nos faltam. Não enxergar nosso "tão grande pecado" nos faz de fato perder a fé, e isso aconteceu comigo. Pra falar a verdade, esse foi um dos principais motivos pelos quais eu criei esse blog: simplesmente não tinha mais a quem ou ao quê recorrer, e não enxergava mais o meu futuro. Então, resolvi usar este espaço para expressar absolutamente tudo o que eu sentia e vivia sem temer os possíveis julgamentos, como não os temo agora, no momento em que vivo uma fase de paz e esperança. Mas como sempre dizem, tudo passa. E passou. Juntei os cacos do que restava de dignidade e orgulho dentro de mim, e tenho conseguido reconstruir, ou construir um caminho que espero dessa vez ser correto. Como sempre, faço o melhor que eu posso. Não sei o que me espera no futuro, mas o presente tem me mostrado que muitas coisas boas estão em meu caminho.

O retorno da esperança perdida às vezes nos faz ver o mundo muito mais azul do que ele de fato é. Por mais que pareça, eu não sou uma pessoa extremista. Não estou no céu ou no inferno. Tenho a consciência que sempre estive e sempre estarei entre os dois, numa árdua tentativa de subir, mas tendo a cosciência de que em certos momentos terei que descer, até para subir com um impulso ainda maior. Descobri que no fundo do meu poço tem uma mola indestrutível, e sempre que eu estiver lá, subirei com mais força e com mais brio. Mas confesso que essa subida ás vezes me torna eufórico demais, considerando que o sol ainda está começando a nascer. Quem sabe ao meio dia eu possa sorrir de verdade... meu aparente ceticismo vem do fato de que eu quase sempre tive que parar ás 10 horas da manhã, e muitas vezes temi que chegasse às 6 horas da tarde.

Mas tudo bem, vamos em frente. Aproveito a oportunidade para desculpar-me com os meus nobres e queridos leitores pela longa sessão "love is in the air" dos meus textos, e prometo daqui pra frente tornar-me mais racional do que emocional, ao menos nas palavras que publico aqui, deixando sempre muito claro que não perderei a minha essência de sensibilidade para expressar-me pura e verdadeiramente. Esta sempre estará presente em cada um dos fonemas que transcrevo aqui. Mas sem tantas "melosidades", afinal, as palavras podem ir muito além do que qualquer sentimento, seja ele bom ou ruim, pode alcançar.

4 comentários:

Teresa disse...

ué, fique à vontade pra escrever o que quiser, o blog é seu heheh

e quem não quiser ler, não leia. né não? kkkkk

afinal, seus textos são seus pensamentos e suas realidades, o título do blog!

=*

Camilla disse...

Haha... nenhum blog resiste a uma boa dose de melação. Olha, eu também digo meloso viu...rsrs. Essa expressão também é bem conhecida aqui. Tanto que até coloquei na descrição do meu blog.

Mas... não deve dar satisfações quanto ao que escreve. Eu também não gosto muito de blogs do tipo diário não, mas é inevitável que mais dia ou menos dia você use seu amigo aqui como muro de lamentações. É uma espécie de desabafo.

hehe.

Beijão...

♥ Roberta... disse...

Não tens de se adaptar aos leitores, mas sim, seus leitores devem procurar admirar o que você escreve tendo a mente aberta à criatividade dos outros. Gosto de uma pitada de textos melosos em meus dias, e, espero poder ler suas palavras de hoje em diante.

Desculpe a demora em vir aqui. Agora, porém, eu pretendo voltar mais vezes. Beijos...

Flávia Fabri Cesário disse...

Não mudeeeeeeeeeeeeee!! rsrs
Já conversamos a respeito!
Beijo! :)