segunda-feira, 16 de novembro de 2009

A Crise do Diploma

Anos e anos de faculdade. Provas, seminários, pesquisas, stress, noites insones, livros caros, e mais uma série de dificuldades que o mundo acadêmico proporciona, para que ao final, após tão árdua batalha, ainda seja necessário enfrentar a tal "crise do diploma".

Raras são as vezes em que os universitários se formam e não passam por um violento choque de identidade profissional. Tensão pós-faculdade, crise do diploma, medo, seja lá o nome que tiver, este é sem dúvidas um dos momentos mais difíceis na vida de uma pessoa. Talvez ainda mais difícil que a escolha do curso superior em si, porque neste caso, teoricamente, existem as opções. Ao formar-se, a situação é estática, o papel está ali na sua mão e a pergunta vem uníssona: "o que eu faço agora?"

Muitas pessoas vivem a vida inteira sem conseguir responder a esta pergunta. Outras encontram seu caminho com mais facilidade, seguem no rumo da sua formação e conseguem sucesso. Há ainda aqueles que têm a força de admitir um possível "erro" na escolha do curso, e resolvem enfrentar a batalha acadêmica mais uma vez, ou duas, ou três...

O importante, seja qual for a situação, é confiar na capacidade própria. Não creio ser pecado mortal formar-se em medicina e tornar-se engenheiro. Creio sim, ser absurdo, viver uma profissão sem ter dom nem capacidade assimilativa alguma naquela área, e assim, tornar-se um mau profissional. A verdade é que esta crise pós faculdade tornou-se um dos maiores temores de quem se aventura - sim, porque é uma aventura - a cursar uma universidade hoje em dia, mas é preciso, principalmente nestes momentos, lembrar-se de buscar apoio na família, nos amigos, e nas pessoas que realmente se importam conosco. Deixar levar-se por orgulho ou por sentimento ferido em momentos cruciais como estes é o passo mais infalso que se pode dar.

A vida sempre coloca caminhos diante de nós, e se existem duas saídas, não podemos tentar escolher uma terceira. Não é conformismo, e sim adequação. Tenhamos bom senso e discernimento para que a nossa luta de vários anos não se torne apenas um pedaço de papel enrolado e empoirado em cima da mesa.

4 comentários:

Bruninha disse...

Vinícius meu querido!!

Quer dizer que foi pela primeira vez em meu blog é?! que honra tê-lo por lá e ainda mais saber que se contagiou com meus posts, aaaaaah mas se vc ler os anteriores verá que eu sofri pra encontrar essa auto-estima, mas graças a Deus dei a volta por cima, espero que volte sempre ao meu cantinho, pois será sempre recebido com muito carinhoo, vou tentar postar ainda hj ;)

Bjão e fica com Deus!

Ludmilla disse...

A Vida como dizem é um TRAVESTI: Não é o que você pensa que é, Não serve pro que você quer, e com certeza quer te fuder, e vai.

Mais eu adoro a vida, obrigada pelo carinho em meu blog. :)

Juliana. disse...

A vida tem sim dessas coisas..
muito bom o post!!

Sentimentalidades

Paulinha Barreto disse...

NOssa quando vc escreve eu mergulho em pensamentos, como sempre PERFEITO!