sexta-feira, 18 de junho de 2010

Dos Ensinamentos que a Vida nos Traz


Nós, seres humanos, temos uma incrível capacidade de jamais nos satisfazer com as coisas que efetivamente temos. Nossa vida sempre é recheada de dissabores, acordamos tristes e mau-humorados, e é sempre difícil viver a nossa vida, porque sempre estamos querendo viver a vida de outras pessoas. Reclamar é nosso ofício.

Nosso outro ofício é lamentar. O reclamar leva ao lamentar. Dia após dia, seguimos sem entender o real significado da vida, e disperdiçando momentos que talvez sejam únicos, apenas cumprindo nossos dois grandes ofícios na vida: reclamar e lamentar. O trabalho é muito, o dinheiro é pouco, a saúde é fraca, o sono é forte, a calça não ajustou ao corpo, o namorado não te faz feliz, o marido trai, a esposa não cozinha direito, o professor não sabe dar aula, o sol que está muito quente, o frio que está congelando, a internet que está lenta, o chuveiro que não esquenta direito, a baleia do twitter que insiste em aparecer, o computador que pifou... enfim, poderia passar 72 horas seguidas nomeando as nossas razões para reclamar e lamentar todos os dias. Mas não é isso que eu quero.

Prefiro dizer apenas UMA razão para colocar tudo isso em segundo plano: o fato de estar vivo. Claro, eu nunca estive morto nem jamais tive contato com alguém que esteve. Mas já tive contato com pessoas doentes, pessoas que poderiam não encontrar mais nenhuma razão para continuar, e no entanto, estas parecem ser as mais felizes de todas. Contradição? Não! Eles aprenderam o real significado da palavra VIVER.

Viver é apreciar o que se tem, e não depreciar o que não se conquistou. Viver é olhar todos os dias nos olhos das pessoas que amamos e repetir, por muitas vezes, que estamos felizes em saber que elas existem, porque amanhã, elas podem não existir mais. É perdoar mesmo nas horas em que o coração insiste em crucificar. É entender que o pouco que temos pode ser muito para aqueles que não têm nada, e ainda assim, são mais felizes do que nós. Poder acordar, abrir os olhos, enxergar o mundo, ter comida na mesa, ter alguém que nos ame e alguém a quem amar, ter uma família, mesmo que não nos entendamos bem com ela, uma moradia, saúde, capacidade, e um pouco de dinheiro, é, na verdade, um grande presente de Deus, e por isso, devemos agradecer.

Mas somos fracos. Precisamos passar por situações extremamente adversas para que sejamos capazes de entender um pouco a respeito da vida. E as pessoas que lêem minhas palavras há algum tempo sabem de tantas que eu já passei, e ainda assim, sinto-me tão fraco quanto qualquer um que faça e aja como se tudo estivesse ruim, e não importa o quanto melhore, nunca será suficiente.

Ontem passei por mais uma dessas situações, para que eu aprendesse ainda mais. Vi que a vida é uma linha muito tênue, e que ela pode se desfazer numa fração de segundos, sem que sequer tenhamos tempo de entender os "porquês". Tive que aprender mais um pouco para vir aqui e ser capaz de escrever estas palavras que agora saem do fundo do meu coração. Não há distância entre a vida e a morte. E para quem deseja viver, é preciso que os "ofícios" citados no começo deste texto sejam substituídos por um simples e singelo sorriso ao amanhecer, afinal, são coisas assim que fazem com que o viver ainda valha à pena.

5 comentários:

Marcela Fernanda disse...

Muito bom o texto. Q vc não precise sempre de situações adversas pra se expressar tão bem!! Sorte. Abraço

Bruna disse...

Sim, concordo plenamente. Eu, mesmo sem passar por situações tão adversas, já aprendi que não adianta lamentar e reclamar. Eu posso dizer com todas as letras: SOU FELIZ!

Gabriella Grisi disse...

Texto bonito, porém senti tristeza nele.
Abraços amigo.

Livi disse...

Lindo o texto, e concordo com tudo, sabe, antes passava meu dia todo reclamando, mas aprendi que nao devemos reclamar, as vezes reclamos e principalmente pra pessoas erradas, isso pode trazer muito mais problemas, do que nos esforçarmas acordar colocar um sorriso no rosto e ser feliz, apesar de tudo!
Beijo

Pâmela disse...

Vivendo e aprendendo...
Um dia, todos irão descobrir essa verdade!