sexta-feira, 11 de março de 2011

Do intrínseco ao escondido


Há sentimentos escondidos no interior de um ser que nem mesmo ele pode descrever. Vivemos tentando demonstrar algo, e ao mesmo tempo, vivemos sentindo coisas nem sempre pares às que demonstramos. O dia-a-dia, os conceitos sociais, as necessidades humanas fazem com que nós, sem exceção à regra, sejamos sempre dois.

Algumas verdades, não absolutas, são intrínsecas. Essas não aparecem, sobrevivem no fundo de cada ser como um sentimento uníssono e calado, que não se apresenta, mas por vezes, pode machucar. Já outras coisas são escondidas por nós. Porque um ser humano jamais deve se abrir completamente. Cada um tem uma forma de enxergar o mundo e expor tudo o que se sente pode causar sérios danos até mesmo á nossa capacidade de relacionarmo-nos com as pessoas, mesmo àquelas a quem amamos.

Há verdades intrínsecas e há sentimentos escondidos. Tenhamos sempre a consciência de que, por mais que conheçamos o ser humano, há sempre algo mais lá em seu interior, e saibamos compreender, dosar e colocar para fora somente o que nos faz bem e nos guia pelo melhor caminho.

Um comentário:

Mayra disse...

concOrdo com vc...
me vi em seu textO!

Parabéns amigO!
gosto muito de seus textos...

beijOs..